.

.
.

domingo, 21 de dezembro de 2008

PERCEVERANÇA


Às vezes deito na cama e ouço músicas da infância, e incrivelmente consigo lembrar-me da criança que eu era, e que criança feliz eu fui. Essa infância agora é uma lembrança tão distante, mas quando vem à tona é tão intensa quanto a própria realidade.
Existem sentimentos os quais nós ainda nem ao menos conseguimos dar nome, e o que isso tem a ver com a minha infância? Tem a ver com meu silencio. Eu observava e pensava sobre essas sensações desconhecidas e conseqüentemente os meus atos do cotidiano tinham o intuito de provocá-las.
E então surge uma compreensão! Tão nova e inominável quanto o sentimento que a gerou, assim, nasce a música, a nossa língua universal que vem do outro lado dessa realidade material, que fala mais do que todas as palavras desse mundo juntas, na verdade ela transcende a língua falada, de um jeito que ela fala ao corpo todo, à alma e ao além do homem.
Por isso nunca fui bom com palavras, tanto que na maioria das vezes falo por enigmas. Mas porque falar à toa quando existe essa outra língua que fala tudo o que a gente precisa ouvir?... é tudo muito simples, tão simples que hoje é chamado de utopia. E o homem por natureza complica tudo e tanto que eu até cheguei a pensar estar do lado errado da compreensão, mas não, é o mundo que está torto, e eu sozinho sigo observando, pensando e dessa vez falando, mas falando numa língua que poucos entendem.
E é juntamente com essas lembranças que penso em ti mãe, que me carregou na barriga pensando ser dois, que se eu for lhe dizer que dessa vida maravilhosa que me deste não tenho nenhuma má lembrança a não ser das vezes que te vi sofrendo, fazendo sacrifícios por mim e pela mana, tu que nunca mereceu sofrer.
Depoimento?... eu sou um depoimento vivo de ti. Eu sou a ascensão do teu pensamento e da tua boa vontade condensados numa mente presa a esse corpo, aguardando o grande momento.
E se algum dia não puder me entender, não pense que estou a te enganar ou a te trair, pois sou somente um pássaro que não vive dentro de uma gaiola.
Sinto por ti algo muito mais nobre que o amor, é mais um desses sentimentos sem nome, e que eu demonstro também de forma indefinida, muitas vezes em silêncio.
Mas é tudo sempre muito simples...

Passei até hoje sozinho com meus pensamentos
nunca desacreditei minhas capacidades na música, tanto q hoje ja escrevo musica orquestral de qualidade. vou trabalhar com trilhas sonoras e isso dá muito dinheiro!

Por isso q digo q não me conheçem, o meu silencio é pra não expor minhas idéias que são contrárias à maioria de todo mundo. a vida solitária tem um ponto bom: muito se reflete e evolui intelectualmente, porém, o lado ruim é que com pouquíssimas pessoas se conseguirá conversar e trocar conhecimentos após esse estado.

Por isso eu sou bom, porque me isolo e me concentro só no meu objetivo, o ruim é ter que ficar implorando coisas que não são capricho.

Mãe, eu li tanta coisa, eu estou num nível diferente de compreensão sobre tudo. é inaceitável a condição de considerar ou não uma pessoa pela
quantidade de dinheiro que ela possui. tente talvez pensar: quanto dinheiro essa pessao pode me render?...

Logo voce e o pai se aposentam, e os luxos que voce sempre quis?
acha q eu nao sonho em lhe dar uma casa...na praia talvez?
mas sendo operador de audio numa radio ou empacotador de mercado puxa saco de algum porco capitalista nunca vou conseguir isso, mal vou conseguir comer.
nao quero familia, do meu lado é improvavel que venham netos pra ti, eu só quero poder fazer musica em tempo integral
te dou todo dinheiro que quiser depois, não estou aqui pra ser só mais um, eu vou ser grande.

Entenda que pra mim a música tem mais graça que a própria vida, e do geito que me dedico ainda vou ganhar muito dinheiro.

Sua vida foi injustamente cruel em determinados pontos, mas ela te deu filhos, e nesse caso eu, não vim ao mundo para lhe sugar
eu vim transformar teu passado sofrido em vitória atraves de minha musica, por que por mim ja venci...ja sou um artista feito.
meu plano agora é deixar meu nome na história.
ja não disse ano ´passado que sou a ascenção do teu pensamento e vontade? esqueçeu?

Não posso ser um vencedor se não pela música, lamento. mas de uma forma ou outra a vitória é sua, pois voce me gerou, me criou e educou
e como já disse, por mim já sou um artista, desde criança. cada dia que passa sinto como se estivesse relembrando quem eu realmente sou..ou fui...
é uma sensação muito estranha.

Pois então, acredite em mim como eu mesmo acredito que o teu triunfo se dará atraves de mim e minha música. (21/04/2009)

DEPOIMENTO:
Thiago Theobald
(Acadêmico de Música Classica
Composição Musical)

Meu filho

Um comentário:

Julia disse...

Feliz Navidad Maura!!

Y como siempre sigo disfrutando de la belleza de tus poesías!!

POSTAGENS ANTIGAS

Minha Mãe: MARIA BIESEK MILCHAREK

Minha Mãe: MARIA BIESEK MILCHAREK
Amor para toda vida!!!

Avô materno: JACOB BIESEK

Avô materno: JACOB BIESEK

Avô Paterno: JACÓ MILCZAREK

Avô Paterno: JACÓ MILCZAREK

Avó paterna: FELÍCIA MILCZAREK

Avó paterna: FELÍCIA MILCZAREK