.

.
.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

EU AMAVA O MEU CÃO...



Tão pequenino e indefeso veio aos meus braços...
Protegi-o e criei com amor carinho e dedicação, era meu companheiro, meu amigo fiel, meu filho, meu cão.
Seu nome: Lobo!
Para os estranho uma fera; para mim dócil e carinhoso.
Não podia ouvir o barulho das crianças que iam e vinham da escola, seus pêlos se arrepiavam e com uma fera por duas vezes arrebentou as correntes que mantinham num vai e vem.
O que o mantinha isolado era uma espia de aço porque para os outros uma fera; para mim ternura, carinho, amor...
Eu ama meu cão!
Era enorme e assustador; para mim querido e acolhedor.
Brincava de longe com meus filhos e parece que disputava com eles o meu carinho a minha atenção...
Por várias vezes matou gatos da vizinhança e como trófeu os mostrava.
Eu ama meu cão!
Por muitos ele era odiado ao contrário de mim que era muito amado.
Que saudades do meu cão!
Pela fama de fera foi tirado de mim e levado para o interior dado para parentes de pécimo coração.
Foi tratado como fera e aprisionado num galpão sem carinho e sem compaixão...
Mais de um ano se passou e meu coração sentindo tanta saudades me levou até lá para vê-lo...
Até hoje me pergunto: Será que era ele que me chamava?
A dor foi enorme quando o meu Lobo eu reencontrei...
Senti medo...
Chorei...
Ele como louco pulava, uivava e acoava...
Era uma mistura de desespero com saudades...
Tiraram, arrancaram o Lobo de mim...
Tive medo de chegar perto, de tocá-lo...
Transformaram meu doce cãozinho numa fera!
Sofri em vê-lo abandonado e amarrado em um espaço mínimo...
Senti que ele sofria de saudades...
Semanas mais tarde a notícia:
Na mesma noite do nosso encontro ele se enforcou...
O dono da fazendo disse não entender como ele conseguiu tirar a própria vida...
O Lobo se matou...
Até hoje sofro e a lágrima desliza no meu rosto...
Nada fiz por ele...
Meu cão preferiu morrer do que estar longe da família que o criou...
Eu amava o meu cão...

(História real do meu cachorro Lobo que viveu apenas 04 anos e que tirou a própria vida.)

Maura Theobald

Nenhum comentário:

POSTAGENS ANTIGAS

Minha Mãe: MARIA BIESEK MILCHAREK

Minha Mãe: MARIA BIESEK MILCHAREK
Amor para toda vida!!!

Avô materno: JACOB BIESEK

Avô materno: JACOB BIESEK

Avô Paterno: JACÓ MILCZAREK

Avô Paterno: JACÓ MILCZAREK

Avó paterna: FELÍCIA MILCZAREK

Avó paterna: FELÍCIA MILCZAREK